Consciência Corporal: Uma arma contra o narcisismo patológico

Atualizado: 1 de jun.

"Consciência corporal é ter uma boa conexão entre o seu 'eu' e o corpo em que habita."


Ter consciência corporal consiste em ter a capacidade de corresponder presencialmente na situação em que se está. Viver o presente e sentir o momento. Por exemplo, quando se está em um velório é natural sentir tristeza, enquanto que estar em uma festa, o provável é ficar alegre. Mesmo que outros pensamentos estejam passando pela sua cabeça. você está percebendo que naquele determinado período, a maior parte do tempo, está sentindo algo que corresponde àquela determinada situação.


Quando não há consciência corporal, você é absorvido pelo meio, se perde e cria um estado de ansiedade. Está em um lugar, sempre pensando em outro.


As vítimas de pessoas com Transtorno de Personalidade Narcisista param de ouvir o corpo, ignoram a intuição e até mesmo os famosos "avisos" de parentes ou amigos quando dizem "não case com tal pessoa" ou "não faça uma sociedade com tal pessoa". Às vezes somente após 20 ou 30 anos é que se dão conta daquilo que ignorou no início dos relacionamentos.

Nas retrospectivas e reflexões direcionadas ou não por um profissional, pode-se perceber que na maioria das vezes que você intuiu algo "estranho", estava certo a respeito daquela situação.


É preciso identificar e ouvir o que o seu corpo tem a dizer sobre determinada circunstância. Há sinais que precisam receber atenção maior. Pode ser um frio no estômago ou um aperto na garganta, por exemplo.


O envolvimento com um narcisista na fase adulta tem sempre uma raiz na infância. Um vínculo traumático desenvolvido com familiares ou cuidadores. Pessoas que deveriam proteger fazem o contrário: abusando. Então "a criança tenta agradar aquele que cuida dela para que ele o proteja de sua própria violência". Por isso, tende a repetir em sua vida de forma a ser visto como uma coisa "normal" apesar de toda agressividade e violência. O adulto que conduz determinada situação deixa a criança com o corpo muito contraído, com a postura de quem tem sempre que sair da situação criada. E isso é carregado para outras situações da vida adulta porque foi um comportamento aprendido.


O relacionamento com narcisista pode ser comparado ao parasita e seu hospedeiro. Com o tempo, muitas sequelas são observadas. A questão é que mesmo que não seja possível reverter os danos, é possível para de prejudicar. É preciso reaprender uma nova forma de reorganização estrutural.


A Técnica de Descompressão Corporal tem o objetivo de promover bem estar por meio de uma musculatura tonificada adequadamente. Permite que aquele corpo comprimido desde o trauma da infância possa usufruir de uma descompressão e sentir-se mais livre e menos sujeito às tensões do dia a dia.


Muitas pessoas já identificaram que estão em relacionamentos abusivos, mas não têm como sair nesse momento da descoberta. Ás vezes têm filhos pequenos ou não tem estrutura financeira e precisam se programar. A consciência corporal vai ajudar a suportar momentos difíceis.


Como ficar tranquilo em meio ao tiroteio.


"A calma do psicopata é a frieza.

A calma do empata é o autoconhecimento."


Talvez o relacionamento com uma pessoa com transtorno narcisista seja a maneira mais dolorosa de se conhecer, porém, o benefício do autoconhecimento é que não é uma coisa temporária. Por isso, dá trabalho, demora um pouco, mas ao conhecer-se, vem junto a segurança e mais assertividade nos seus atos.


Aprender a dizer não é um poder que muita gente não experimentou ainda. É tirar o controle do outro que só quer te manipular para fazer coisas que você não quer, somente para agradá-lo.


Deixe de "dar o seu poder ao outro" ou achar que o seu "não" vai fazer mal ao outro.


"Saber quem você é não é ter tudo sob controle, é saber como agir em diversas situações para se proteger."



Texto baseado nos vídeos do Canal Psicanálise & Eu do YouTube.


parte I - 20 de fevereiro de 2022.


parte II - 27 de fevereiro de 2022.


No vídeo parte II há três práticas demonstrativas para sentir o corpo, nos tempos abaixo:

23:37' observação (mãos)

59:37" cabeça

1:13:51" olhos







56 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo