Narcisistas e o benefício da dúvida (parte 1)


O benefício da dúvida é dado por quem ama e essa é a diferença crucial entre um narcisista e um não narcisista. O narcisista não ama, sempre suspeita mal, sempre desconfia que estão conspirando contra ele. Eles manipulam suas vítimas porque têm a certeza de que vão ser perdoados pelos seus deslizes constantes. Nunca são ingênuos.


Os narcisistas sempre vão se valer do benefício da dúvida dado pelos codependentes, devido a ingenuidade que paira sobre as vítimas.


Os sobreviventes carregam em si um comportamento de desconfiança por tantas vezes conceder o benefício da dúvida e depois, ao descobrir que tudo era uma mentira no(s) relacionamento(s) que viveu, sente-se inseguro quando vai iniciar uma aproximação com outra pessoa. É necessário aplicar os conhecimentos sobre esse assunto e saber levantar as bandeiras amarelas ou vermelhas ao iniciar outros relacionamentos.


Decidir a hora de sair


A constatação de uma convivência com pessoa acometida do transtorno de personalidade não se dá rapidamente. É necessário muito estudo e observação. Normalmente as vítimas pensam que há algum problema com elas e que o "outro" tem razões para a tratar mal e se portar de modo tão agressivo. É um abuso emocional. Ao identificar que a fonte de suprimento é "você", surge a necessidade de um planejamento estratégico para sair desse relacionamento. Um plano de fuga mesmo, muito bem estruturado para garantir um contato zero. É sair para se proteger dessa pessoa que sofre de uma desordem de personalidade e tem os seus valores alterados. Quando não é possível o contato zero, a pedra cinza é o que vai garantir menos danos temporariamente.


A partir dessa descoberta, será o fim do benefício da dúvida para essa pessoa e também a todos que querem validar o narcisista. Infelizmente a resposta que você queria e que merecia não vai ser dada. Não há uma prestação de contas por parte do abusador.


Será preciso um "reiniciar". É um trabalho de busca de si mesmo, um mergulho ao encontro do que ficou escondido nessa teia, onde até mesmo os gostos e vontades próprias não se acha mais em si mesmo. O conhecimento é melhor porta para um novo caminho.


Fazer o que fala, falar o que faz


O novo início deve ser introduzido com coisas simples e que vão atingir diretamente uma nova forma de pensamento. Para voltar a acreditar em si mesmo é necessário cumprir as coisas que você fala. Por exemplo, ao programar uma caminhada diga a você mesmo que irá fazer e não que talvez fará. Caso chova no dia ou aconteça algum imprevisto, vá mesmo assim. Encare como uma promessa feita a seu corpo que deve ser cumprida.


Ferramenta para o corpo e mente

Uma das características de um codependente é a necessidade de reagir (falar, se justificar, antecipar ações, supor os pensamentos do outro). A TDC Técnica de Descompressão Corporal, desenvolvida pelo professor Josimar, oferece uma condição de "não reação" e ajuda muito a eliminar essa necessidade e fugir da manipulação emocional.


Os narcisistas patológicos nunca dão o benefício da dúvida. Eles sempre vão desconfiar, castigar e punir. Eles têm pensamento "sensual". Sensualidade no sentido de causar "divisão" em você, romper ao meio, que faz com que a vítima viva sempre um "impasse", sendo transformado em uma pessoa rompida.


Diante disso, é preciso se costurar, se achar e se tornar uma pessoa íntegra. Ser você mesmo.



Texto baseado no vídeo de 12/set/2021 do canal Psicanálise & Eu no YouTube

live de 12 de setembro - Clique aqui para assistir o vídeo na íntegra

139 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo