Narcisistas e os malefícios para a saúde-Ansiedade (parte 3)



Não existe ansiedade boa assim como não existe dor boa.

Porém, a dor é necessária. Ela faz parte da detecção dos sinais que precisamos perceber. Existem algumas doenças que a pessoa não sente dor (diabetes, por exemplo), e isso é muito prejudicial, porque uma ferida pode não cicatrizar, ficar infeccionada e durar muito mais tempo para se recuperar.


A ansiedade considerada normal é a da expectativa que tem conexão com as nossas emoções. Pode ser, por exemplo, a expectativa do nascimento de um filho, ou a expectativa de notícias a respeito de um parente que está internado em um hospital.

A ansiedade inconsciente, que é a causada pelos relacionamentos com pessoas com transtorno de personalidade narcisista, também é um transtorno.


Expectativa é algo bom, se acontece de forma natural, que tem relação direta com os anseios futuros. Ansiedade é sempre ruim, porque atrapalha, antecipa emoções sobre algo que nem se sabe ao certo se vai acontecer.


Faz parte da cultura brasileira, principalmente nos polos industriais, especificamente em São Paulo, que as pessoas carreguem uma "culpa" por passarem por momentos em que não seja necessário estar em atividade, ou melhor; momentos de ócio, de não se fazer absolutamente nada.


Nós temos um estado de relaxamento natural, onde os nossos músculos são sustentados apenas pelas pulsações provenientes da medula do sistema nervoso central. É nesse estado de tônus muscular que o corpo deve iniciar qualquer movimento. Após a ação concluída, volta-se ao estado natural, que é semelhante ao de outros animais. Depois que caçam, por exemplo, voltam ao "modo descanso".

Porém, nós humanos não agimos assim. Nossa cultura está sempre nos cobrando que temos que produzir, como popularmente se diz: "enquanto você descansa, vai carregando algumas pedras aqui”.


O cérebro não para


Temos dois hemisférios cerebrais, para que ocorra a interação das informações originadas nas percepções sensoriais, o que nos capacita para ações assertivas, cada vez mais aprimoradas e completas. Para ser criativo é necessário estar com a musculatura relaxada, permitindo ao hemisfério direto uma melhor e mais livre interpretação da linguagem das coisas. Isso explica as ideias mirabolantes que normalmente temos quando acordamos. Isso porque estamos num estado de relaxamento e a criatividade está fresquinha, em sua maior liberdade, sem senso crítico para interferir, principalmente depois dos episódios de sono REM. Mas essas ideias escapam ao levantar, quando começamos com nossos afazeres e precisamos contrair a musculatura durante as demandas exigidas em nosso cotidiano.


Imagine que a pessoa com transtorno da personalidade narcisista está sempre te manipulando, utilizando e explorando o funcionamento do teu sistema nervoso. Ao mantê-lo sempre ocupado, mitiga sua criatividade, faz com que a sua vida não siga para frente e seus projetos fiquem sempre de lado.


A memória emocional passional das vítimas é uma desvantagem em relação aos planos dos narcisistas. Será preciso usar muito a razão, partir para o contato zero, antes de sofrer o grande descarte. O descarte final, grandioso, sempre ocorre nas piores horas, onde você está passando por grandes dificuldades, longe dos amigos (porque intencionalmente o predador te afastou de qualquer rede de apoio), e você se encontra totalmente sozinho.


É de extrema importância lembrar que se você foi vítima de um narcisista, isso significa que você tem muitas qualidades, porém, não enxergou, ou melhor, o próprio abusador não permitiu que você atentasse para isso. Você tem atributos que não foram valorizados, que foram menosprezados pela sua própria família, por amigos (pseudo amigos) próximos e pela parentela em geral. Talvez por inveja, recalque ou qualquer outro tipo de vaidade.

Você se acostumou a não percebê-los e foram exatamente esses dons e habilidades que o narcisista enxergou em você e quis se nutrir deles. Foi te sugando enquanto você nem se conhecia. Transformou suas qualidades como se fossem dele e você se apaixonou por alguém que refletiu você mesmo. Isso é ainda mais intrigante pelo fato de também ser uma espécie de narcisismo. Mas não se preocupe, não é. Na verdade é a chance de identificação do próprio self da vítima.


Para que você se encontre é preciso muito esforço e muito cuidado para que a ansiedade não te faça queimar as etapas que podem trazer a mais completa libertação.

Se necessário, é preciso recorrer à medicação com um médico especializado, terapia, buscar coisas que você gosta de fazer e que lhe proporcione contanto com emoções legítimas e saudáveis. Jamais recorrer ao narcisista e nunca, nunca, nunca retroceder. Vai ser difícil, mas acredite que pior seria ficar preso ao predador insensível.


A ansiedade provocada em vítimas dos narcisistas torna-se crônica. Há um sentimento de perigo iminente, uma sensação de que algo vai dar errado a qualquer momento.


Para entender melhor, aí vai uma explicação mais técnica e que, se bem entendida, vai ajudar muito, quando aplicada à vida de alguém que ainda está em um relacionamento abusivo, ou seja, de um sobrevivente que ainda não se libertou do algoz narcisista.

Tecnicamente podemos dizer que o nosso cérebro é precavido, gosta de variedades e gosta de caminhos diferentes e é por isso mesmo que os neurônios têm uma capacidade de comunicação diversificada e extremamente veloz, reconfigurando redes, fazendo novas conexões e melhorando e aprimorando essas redes e conexões. A isso chamamos de neuroplasticidade. Isso ocorre quando uma rede neural fica mais inteligente, à medida em que mais neurônios participam das ações relacionadas aos estímulos sensoriais e o pensamento vai ficando cada vez mais aprimorado. Na verdade essa atitude do sistema nervoso serve para efetivar o que for considerado como essencial para nossa sobrevivência, mesmo que se trate de coisas totalmente inadequadas para nossas vidas. Portanto, esse “gostar de mudança” que atribuímos ao sistema nervoso desvela exatamente o contrário de sua intenção: segurança para não precisar mudar. Parece uma contradição, mas no fundo se trata de uma sofisticação.


A sua inteligência faz com que você, ao ver uma sequência de números (por exemplo: 2, 4, 6, 8, ...), consiga completar sem precisar de mais explicações. Isso já está na sua memória, mas para acontecer depende de uma comunicação entre neurônios e quanto maior e diversificada é essa comunicação, mais aprimorado está o seu sistema.


Quando temos um trauma, nós desenvolvemos uma crença de que estaremos sempre em perigo quando algumas evidências aparecerem. Imagine que no passado você sofreu um ataque de um cachorro e passou muito medo. Isso ficou registrado na sua amígdala cerebral. O seu cérebro fez um mapeamento de toda aquela situação para te proteger da forma mais aprimorada possível. Ao se deparar com os mesmos elementos do dia do ataque, embora você esteja fazendo outra coisa, o cérebro fica em alerta e qualquer estímulo já irá funcionar como gatilho. Pronto! A amígdala cerebral já dispara, porque o cérebro recebeu mensagem de emergência, e começa um banho de neurotransmissores que são liberados na corrente sanguínea, nas adrenais, para que você tenha cortisol e adrenalina para lutar ou fugir.


Resumindo isso em uma palavra, o que surge é o "medo”. E quem sente o medo é a criança e não o adulto. Quando a criança sente medo o corpo que ainda se pensa de forma infantil se retrai e paralisa e você volta a viver aquela situação do passado.


Use a sua experiência para identificar o que poderá lhe trazer gatilhos e tente evitá-los.

Se o contato zero não for possível, use a técnica da pedra cinza, onde você se torna a pedra cinza, algo que não desperte nenhum interesse por parte do narcisista.


É muito importante perceber quando se está ansioso. Ao detectar um comportamento ansioso, sua força irá diminuir. O segundo passo será enfraquecer o estímulo. Se os amigos em comum te remetem ao abusador, será necessário temporariamente também o contato zero com eles.


A dor da alma é legítima para os sobreviventes e vítimas de narcisistas. Ela deve ser vivida. Foi aberta uma ferida e se não cortar o contato, a ferida será reaberta todas as vezes que houver um novo retorno à situação anterior.


Mudança é transformação. Buscar informação que não muda nada não irá te transformar.

A Ansiedade atua nas sensações, nos pensamentos e no comportamento. É um tripé. Procure algo que aprimore as suas sensações, faça com que os teus pensamentos fiquem mais claros, pois a mudança do comportamento será resultante de tudo isso.


Assista o vídeo abaixo e veja mais exemplos e dicas valiosas.




texto baseado no vídeo de 25 de julho do canal Psicanálise & Eu no Youtube




18 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo