Por quê o narcisismo é tão difundido na sociedade ?



Esse transtorno de comportamento parece estar se espalhando como uma praga na sociedade contemporânea. Não só entre adolescentes e jovens adultos inundando as redes sociais. “O transtorno de personalidade narcisista – um padrão comum de exagero, necessidade de admiração e falta de empatia – continua sendo um diagnóstico bastante raro, mas os traços narcisistas estão definitivamente em ascensão no mundo moderno.

Basta olhar para o consumismo desenfreado, a autopromoção nas redes sociais, a fama a todo custo e o uso da cirurgia para previnir o envelhecimento"


O narcisismo é prejudicial à saúde?


O narcisismo é considerado uma falha de caráter porque traz uma série de comportamentos socialmente indesejáveis. A existência desse estereótipo acaba por criar certo preconceito contra os filhos únicos, o que pode prejudicar suas relações sociais.


No entanto, isso não quer dizer que o indivíduo tenha excesso de amor próprio, mas sim comportamentos problemáticos que surgem da autoestima, tais como exigir tratamento especial, não pensar nos outros, colocar-se acima dos outros etc. Como na mitologia, o narcisismo tem um impacto negativo para todos os atores envolvidos no processo


Um narcisista é auto-sincronizado, ou seja, "Enquanto suas defesas na fantasia funcionam bem, ele não sofre, mas quando essas defesas são quebradas, ele pode se sentir muito miserável, e pode até se mover em direção a si mesmo de uma forma autodestrutiva. "Por isso, caso o terapeuta se depare com um narcisista que decidiu encarar o seu transtorno, a terapia deve ser cuidadosa, delicada, desconstruindo mitos e ao mesmo tempo construindo a vida real".


Neste trabalho, parte 11 da coleção Cultrix Library da Psicologia Junguiana , Nathan Schwartz-Salant usa relatos de casos e diferentes versões do mito do narciso para mostrar como entender o padrão arquetípico universal que subjaz aos sintomas clínicos de indivíduos narcisistas - Pode apontar o caminho para uma reorganização saudável da personalidade - incluindo um equilíbrio harmonioso dos aspectos masculino e feminino.


O escopo deste trabalho é único na medida em que, de uma perspectiva clínica, se concentra na psicologia do ciúme, da raiva, do exibicionismo e do reconhecimento do medo inconsciente e da relação entre o eu e o eu no nível patológico. Também descreve as dinâmicas envolvidas na projeção e transferência/contratransferência, e ilustra de forma contundente as diferenças entre o poder feminino e masculino, além de apresentar um amplo estudo sobre os mitos e seu simbolismo.


Adquira o livro nesse botão abaixo



55 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo