Terá narcisista, será?


Muita coisa se sabe sobre uma figura que se tornou um ícone tanto para Judeus quanto para cristãos. Estamos falando de Abraão, o pai da fé


Porém o registro sobre seu próprio pai que se encontra na Bíblia hebraica, não nos dá muitos detalhes de como foi o seu estilo de vida.


Estamos falando de Terá, filho de Naor, neto de Serugue. Nomes estranhos, não é?

Sim pode ser mas acontece que são nomes típicos de uma região na Mesopotâmia que provavelmente falava o idioma arameu e acádio que deu origem ao aramaico, língua falada por Jesus de Nazaré de acordo com historiadores famosos.


Um deles que vale citar foi o Judeu Flávio Josefo que narrou muitos detalhes sobre a palestina em tempos de ocupação romana.


A novela Genesis da TV Record tem batido recordes de audiência, especialmente nos primeiros capítulos onde Adão chora e canta uma canção intitulada "Jardim da Inocência" do compositor e maestro Alexandre Malaquias, no qual ele expressa a tristeza da perda da comunhão e contato com o criador.


O sucesso desta novela talvez esteja atrelado ao fato de que ela vem recheada de fatos que não podem ser comprovados por simplesmente não haver documentação bíblica e arqueológica de fatos peculiares de seus personagens.


Mas mesmo assim não deixa de ser interessante porque os autores e escritores da novela contam com uma consultoria de estudiosos da Bíblia que alegam que muitas coisas podem ter realmente acontecido.


Uma dessas coisas que pode ter ocorrido e que a Bíblia não menciona é que Terá pai de Abraão teria tido duas esposas ou mais. Fato comum em uma época em que os homens tomavam para si mais do que uma mulher para multiplicar o seu clã e obter notoriedade na sociedade da época.


O Terá apresentado na narrativa da novela da Rede Record, tem um trajetória típica de uma pessoa rejeitada, nômade e em busca de validação de alguém. Ele consegue a afeição de uma sacerdotisa em viagem, ao salvá-la de um ataque de saqueadores.

Por consequência disso, ele é recebido na cidade de Ur do Caldeus com um currículo de se admirar pela sua coragem dando assim carta branca para que ele se estabelecesse com sua esposa na mesma cidade.


Ao longo da história contada pela novela percebemos um Terá que vai crescendo como comerciante e homem de negócios e que não tem medo de nada e nem de ninguém


Porém a medida que os episódios avançam, vemos que ele não tem limites em suas táticas para conseguir mais notoriedade do que o necessário nesta cidade.


Ele manipula sua esposa para que esta aceite que ele se case novamente, tendo então, uma segunda esposa.


Ele tem um caso amoroso com uma filha de uns amigos que cuidavam de sua esposa, no qual vem a ter uma filha sua. A menina que sobrevive ao parto complicado é dada à um casal de amigos para ser criada pelo fato da mãe ter falecido quando paria a criança. A decisão de dar a menina à este casal de amigos solícitos, livraria Terá de mais conflitos já arrumados com suas duas esposas.


Terá não demonstra tanta preocupação quando seu filho Abraão desaparece devido à um sequestro, por estar de núpcias marcadas com sua segunda esposa. Ele simplesmente não atende ao desespero da mãe de Abraão.


Enfim, são tantos os fatos retratados na novela que mostram um personagem que não enxerga além do seu próprio umbigo e que nos dá a impressão de se tratar de um narcisista encoberto.


Mas as perguntas que não querem calar é :


Seria o pai de Abraão, o pai da fé, um narcisista?

Seria este o motivo de Abraão ter saído da cidade de Harã e tentado esquecer o passado de abuso narcisista?


Não podemos afirmar coisas que não sabemos mas se levar em conta a ficção apresentada pelos autores e escritores da novela, fica bem convincente, não fica?


E você? O quê você acha disso? Assista o vídeo! Escreva nos comentários.


11 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo